ptenes

Corpo texto 37 jubileu de ouroA UninCor recebeu no dia 19 de novembro uma visita de egressos formados na primeira turma de 1971 da antiga Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Três Corações (FAFI). O evento marca os 50 anos da formatura das turmas de Pedagogia, Letras, Ciências Sociais e Matemática, os primeiros egressos da instituição. 

O reitor da UninCor, Prof. Lácio César Gomes da Silva participou do evento, que disse ser muito importante para a universidade, por resgatar a história da instituição. “O evento resgata essa emoção que foi vivida por eles na década de 60 e 70 do século passado, traz a possibilidade de novas experiências com esse olhar que eles têm do passado e a vivência que tiveram na sua profissão. Resgata a autoestima desses que têm muitas histórias para contar. Por isso nós direcionamos o nome do evento para “Histórias de Vida”, histórias que se contam, histórias que se registram, histórias que ficam e que são base da formação da nossa universidade”. 

O Prof. Lácio também ressalta que esses egressos formaram a base da instituição. “A UninCor deve muito a esses alunos que aqui estiveram logo no seu início. Nós estamos completando 55 anos de universidade e esses alunos, 50 anos de formados. Eles ajudaram a fazer esse alicerce”. O reitor agradeceu também à equipe que trabalhou no evento. “Estamos muito felizes com o evento e quero agradecer aqui também a todo o pessoal da Comunicação e Marketing da universidade, ao pessoal de Infraestrutura, aos alunos que aqui estiveram, aos professores do mestrado e da graduação. É gratificante demais”.

José Accioli Toscano Neto é egresso do curso de Matemática e foi o idealizador do encontro. Ele veio de Fortaleza/CE para encontrar seus companheiros e comemorar o Jubileu de Ouro, como ele definiu o evento. Ele recebeu homenagens dos presentes. 

Corpo texto 36 jubileu de ouro

O coronel Toscano, como é conhecido, contou que não foi fácil reunir os egressos. Dos 30 ex-alunos, encontrou 18 vivos e os outros 12 já haviam falecido. Eles se encontraram em 2016 em comemoração aos 45 anos de formatura, quando o coronel conseguiu descobrir o paradeiro de todos eles. “Nos reunimos em 2016 e para achar esse pessoal foi uma agonia, porque a maioria mudou de endereço, a maioria das mulheres se casaram e trocaram de nome, havia muitos homônimos. O que nos auxiliou muito foram os sites de endereço e também alguns amigos da Receita Federal que com a data de nascimento e com o nome da pessoa conseguiram o CPF e conseguimos então identificá-los”.

Ele trouxe de Fortaleza um kit com lembranças para os egressos, com camisetas e chaveiro.

O idealizador do encontro foi orador das turmas durante a colação de grau simbólica. “Eu hoje dei a minha declaração como orador da turma e consegui deixar uma mensagem de altruísmo, de jovialidade e uma frase que eu queria dizer aqui que eu disse na minha alocução é a seguinte: uma pessoa não se torna velha por viver um certo número de anos. Os anos enrugam a pele e a perda de interesse pela vida enruga a alma. Nesse instante, que Deus tenha piedade dessa alma de velho”.

Desde o encontro de 2016 o coronel Toscano disse que não deixa de entrar em contato com seus companheiros em aniversários, Natal e outras datas importantes. Criou também um grupo no WhatsApp com eles para manterem contato constante. 

Na ocasião, os egressos passaram por uma colação de grau simbólica e receberam um certificado das mãos do reitor e da Prof.Jocyare Cristina Pereira de Souza do Mestrado  Profissional em Gestão, Planejamento e Ensino, que foi aluna de alguns dos ex-alunos presentes.