ptenes

Vivemos momentos de angústia, medo e tristeza. A pandemia causada pela covid-19 afetou nossas vidas em diversos âmbitos.

Além mortes e sequelas deixadas pelo vírus, enfrentamos o surgimento de novas patologias relacionadas ao excesso de uso do computador,  piora na ergonomia, visão, o sedentarismo, estresse, a ansiedade e os problemas dermatológicos causados pelo uso da máscara, o acessório mais essencial da atualidade. 

E é sobre isso que a coordenadora do curso de Estética e Cosmética da UninCor, Fernanda Augusta Marques fala nesta edição do Dicas do Especialista. 

1 - As máscaras são essenciais para a prevenção da Covid-19, mas muitas pessoas reclamam que após o uso, perceberam aumento da acne na região protegida. Há realmente alguma relação entre a máscara e o aumento da acne?

Sim. O problema se tornou comum e ganhou até um nome: ‘maskne’, uma junção das palavras máscara (mask em inglês) e acne. Isso é decorrente do abafamento da pele causado pela máscara que desencadeia um processo inflamatório. O calor causado pela respiração cria um ambiente quente e úmido fazendo com que as glândulas sebáceas aumentem a oleosidade da pele, criando um cenário propício para a proliferação do surgimento e/ou aumento da acne na região do queixo, mandíbula e toda região da maçã do rosto. Pode desencadear também irritações, vermelhidão da pele, coceira e outras disfunções como ressecamento, dermatites e até mesmo rosácea. Lembrando que a condição da pele não pode ser um problema em relação ao uso da máscara, pois é através dela que evitamos o contágio da Covid-19. A acne também está diretamente relacionada ao estresse e como ele é comum em tempos de crise é natural que as pessoas estejam desenvolvendo ou percebendo um aumento da patologia.

materia fernanda 1

2 - Quais cuidados podem ser observados para evitar esses problemas?

Para prevenir o aparecimento desses problemas, o uso de maquiagem e produtos que possam causar obstrução da pele devem ser evitados. Utilizar a máscara de forma adequada, cobrindo o nariz e a boca, alternando o modelo/tipo de máscara para evitar fricção nos mesmos pontos da face. A aplicação de hidratantes para peles desidratadas, loções cremosas, cremes em peles secas ou géis em peles acneicas/oleosas antes utilizar a máscara ajuda a lubrificar a área e reduzir a fricção e a pressão dos equipamentos de biossegurança como máscaras e óculos. O ideal é que, ao perceber algumas dessas alterações, a pessoa procure um dermatologista ou profissional capacitado e habilitado para realizar uma avaliação, indicar produtos e o tratamento específico a cada tipo de disfunção e tipo de pele.

3 - Quais os melhores procedimentos para melhorar a acne provocada pelo uso da máscara?

No âmbito estético possuímos diversos recursos tanto de equipamentos, quanto dermocosméticos. É necessário realizar uma avaliação para identificar qual o grau da acne e somente assim traçar um plano de tratamento. Nos casos mais severos o tratamento pode ser realizado por via oral, necessitando de uma avaliação criteriosa do dermatologista.

4 - A indústria de cosméticos criou algo específico para esse problema?

Segundo a Sociedade Brasileira de Dermatologia, os tratamentos disponíveis para a acne incluem cremes, géis, sabonetes e medicamentos orais. Os tratamentos complementares podem ser: limpeza de pele profunda, hidratação da pele, peelings, laser e outros procedimentos, como a dermoabrasão e fototerapia.